Veiculo

Kits de reposição de lâmpadas atuam na segurança veicular

Portal do Trânsito Portal do Trânsito

Faróis e lanternas automotivos com defeito, incluindo a falta de regulagem ou o não acionamento por queima de lâmpadas, não apenas colocam em risco a segurança de motoristas e pedestres como também correspondem a infrações de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro.

As penalidades podem incluir multas e outras medidas administrativas, como a retenção do veículo para regularização.

Falhas nos sistemas de iluminação e sinalização por queima de lâmpadas, podem ocorrer repentinamente e, por isso, é recomendável que o motorista tenha algumas lâmpadas de reserva à disposição para que, no caso de imprevistos, possa atenuar os impactos pela reposição imediata.

A ARTEB, uma das principais fabricantes mundiais de sistemas de iluminação automotiva, há 85 anos no segmento, recomenda a adoção de um conjunto reserva de lâmpadas para reposição, sobretudo por tratar-se de uma prática favorável à segurança veicular, harmônica às disposições legais e à condição técnica da frota nacional, majoritariamente equipada com fontes luminosas substituíveis.

"Para tanto, o consumidor deve conferir se as lâmpadas adquiridas atendem às determinações do INMETRO que, mediante seu programa de certificação compulsória, dá diretrizes sobre a qualidade das lâmpadas automotivas passíveis de comercialização no país", revela Carlos Moura, coordenador de P&D da ARTEB.

Além da procedência das lâmpadas, Moura destaca a necessidade do motorista verificar, junto ao manual do carro ou serviço especializado, quais modelos devem ser adquiridos para a exata correspondência com os modelos originais, determinados no projeto dos faróis e das lanternas.

Esta recomendação é importante para que confusões sejam evitadas, em função da variedade de lâmpadas disponíveis e as formas de aquisição: de modo avulso ou por kits de reposição.

Na aquisição avulsa pode haver dificuldade com a organização das embalagens individuais no interior do veículo.

Na aquisição dos kits, a dificuldade reside na configuração pré-estabelecida, o que implica em conferir se o conjunto dos modelos ofertados atende à configuração necessária ao veículo.

A consulta ao manual do carro, além de auxiliar na escolha dos modelos, também serve para conferir se o veículo possui fonte luminosa não substituível, como é o caso de muitas aplicações a LED, sobretudo pela longevidade desta tecnologia.

Por fim, Moura ressalta que, das tecnologias de fontes luminosas disponíveis ao segmento automotivo, somente as lâmpadas de filamento estão no programa de certificação INMETRO, portanto se o veículo é equipado com lâmpadas de descarga a gás (xênon) ou LEDs substituíveis, o critério de aquisição é similar à compra de qualquer autopeça.

Entre outras coisas, cabe pautar-se na boa procedência, incluindo a reputação e o comprometimento da fabricante com a qualidade do que oferta ao mercado.

Comentários