Policia

PM de São Paulo quer aeronave sequestrada de frota de traficantes na fronteira

A operação Cavok foi realizada pela PF em agosto e apreendeu 23 aeronaves

Aeronave apreendida na operação Cavok, que vai a leilão. (Foto: Divulgação/PF) Aeronave apreendida na operação Cavok, que vai a leilão. (Foto: Divulgação/PF)

A PM (Polícia Militar) de São Paulo quer autorização da Justiça Federal de Ponta Porã para uso provisório de aeronave Cessna, prefixo PS-ONE, apreendia na operação Cavok.

A ação foi realizada pela PF (Polícia Federal) no mês de agosto para desarticular a estrutura financeira das quadrilhas de traficantes de drogas presentes na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai.

Os mandados expedidos pela 1ª Vara Federal de Ponta Porã englobaram o sequestro de 23 aeronaves de pequeno porte. Frota utilizada pelo grupo para transporte de drogas produzidas em países vizinhos.

Também foram confiscados três imóveis rurais e um apartamento de luxo, todos localizados em Goiás e avaliados em pelo menos R$ 40 milhões.

O pedido da PM de São Paulo não foi avaliado pela Justiça de Ponta Porã, que apontou que somente o Estado de São Paulo, representado por seu procurador, poderia fazer a requisição da aeronave.

Nome da operação, a sigla Cavok (Ceiling and Visibility OK) é utilizada no meio aeronáutico para definir boas condições de voo.

A juíza da 1ª Vara Federal de Ponta Porã, Carolline Scofield Amaral, já determinou abertura de processo para leiloar gado, máquinas agrícolas e aeronave.

Comentários