Região

Chegada da estiagem preocupa bombeiros na região de Araçatuba

No ano passado, por exemplo, o Corpo de Bombeiro atendeu mais de 1.900 focos de incêndio em áreas de pastagem e terrenos na região de Araçatuba.

Foto: Reprodução Foto: Reprodução

Com a estiagem chegando na região noroeste paulista aumenta bastante o número de queimadas. Para preparar a população de como evitar e combater os incêndios em vegetação teve treinamento em Araçatuba (SP) para mais de 40 prefeituras.

As queimadas costumam ter mais frequência a partir de maio e pelo menos até agosto, período de estiagem, quando chove menos e a umidade do ar fica baixa, facilitando a propagação das chamas.

No ano passado, por exemplo, o Corpo de Bombeiro atendeu mais de 1.900 focos de incêndio em áreas de pastagem e terrenos na região de Araçatuba. Além de ser um problema ambiental, também atrapalha outros trabalhos dos bombeiros.

“Às vezes um incêndio simples precisa de quatro, cinco viaturas e a gente perde a possibilidade de atender outra ocorrência mais séria, como acidente de trânsito”, afirma o tenente do Corpo de Bombeiros Romel Chaparro.

Mesmo ainda não sendo de fato época de estiagem, que começa em julho, este início de ano já mostra um cenário diferente. O ano na região de Araçatuba está sendo mais seco do que ano passado. De janeiro até agora choveu metade do que o mesmo período de 2018.

“Isso preocupa a gente porque a possibilidade de incêndio é muito maior”, afirma o tenente coronel dos bombeiros Nilton Cezar.

Pensando num cenário mais crítico, a Defesa Civil do Estado realizou nesta semana em Araçatuba uma oficina preparatória para prevenir e combater incêndios. Representantes de 41 prefeituras da região, Corpo de Bombeiros e entidades civis.

“Se a gente tem agentes municipais preparados para fazer o primeiro combate, o serviço do bombeiro fica mais fácil e às vezes, dependendo o tamanho do incêndio, o bombeiro nem precisa ir”, afirma o major Fauzi Salim Katibe, diretor da divisão de prevenção de Defesa Civil.

Comentários