JUSTIÇA

Justiça nega revogação de prisão de casal acusado de matar personal trainer em Rio Preto

Com essa decisão da Justiça, o casal fica na cadeia até o julgamento. A primeira audiência do caso foi marcada para o dia 18 de janeiro do ano que vem. Crime foi em agosto desse ano.

Andressa morreu após ser esfaqueada em bairro de Rio Preto — Foto: Reprodução/Instagram Andressa morreu após ser esfaqueada em bairro de Rio Preto — Foto: Reprodução/Instagram

A Justiça negou a revogação da prisão preventiva do casal acusado de matar a personal trainer Andressa Serantoni, em São José do Rio Preto (SP), em agosto deste ano. O casal está preso desde o dia do crime.

Andressa tinha 28 anos e foi morta a facadas. O crime aconteceu depois de uma discussão entre Andressa e uma vizinha, que estava filmando a personal quando ela chegou em casa para alimentar os cachorros.

O marido dessa vizinha entrou na discussão, pegou uma faca no carro e deu vários golpes na personal trainer, que acabou na resistindo. Joel Fernandes Santos e Sidileide Paixão Santos foram presos em flagrante.

O homicídio aconteceu na Vila Anchieta.

Segundo o processo, o crime teria sido cometido porque o veículo da vítima estaria estacionado em frente a garagem dos acusados.

Com essa decisão da Justiça, o casal fica na cadeia até o julgamento. A primeira audiência do caso foi marcada para o dia 18 de janeiro do ano que vem.

A defesa do casal disse que aguarda o próximo contato com os clientes para definir o que vai fazer.

Andressa foi morta com mais de 30 golpes, que se concentraram na região do pescoço e tórax. Contudo, também foram identificadas lesões de defesa nas mãos e nos braços da vítima. O corpo dela foi velado e enterrado no cemitério Jardim da Paz.

Depois de cometerem o crime, Joel e Sidileide se esconderam em casa. A Polícia Militar foi acionada, pulou o muro da residência e encontrou o casal acompanhado dos filhos, que possuem idades entre 4 e 12 anos.

Os dois foram presos, levados à delegacia e autuados por homicídio qualificado por motivo fútil. Eles passaram por audiência de custódia e tiveram a prisão convertida em preventiva.

O homem foi levado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Rio Preto. A mulher permanece à disposição da Justiça na Cadeia Feminina de Nhandeara (SP). Os filhos do casal foram levados ao Conselho Tutelar e encaminhados para familiares.

Joel responde na Justiça por uma tentativa de homicídio contra um vizinho, em 2015. De acordo com o processo, o criminoso tentou matar um homem no bairro Maria Lúcia, também em Rio Preto.

Na ocasião, ele discutiu e agrediu a vítima com um facão, mas ela conseguiu escapar. O motivo seria o barulho na casa da vítima.

O suspeito respondia a esse crime em liberdade e deve ir a júri popular. O Tribunal de Justiça ainda não marcou o julgamento.

Comentários