Oportunidade

Comerciantes reclamam de brigas e sujeiras causadas por moradores de rua em Rio Preto

Donos de lojas afirmam que situação tem feito com que clientes evitem fazer compras em estabelecimentos localizados na avenida Alfredo Teodoro de Oliveira.

Moradores de rua fizeram uma barraca improvisada em canteiro de avenida em Rio Preto — Foto: Reprodução/TV TEM Moradores de rua fizeram uma barraca improvisada em canteiro de avenida em Rio Preto — Foto: Reprodução/TV TEM

Comerciantes reclamam de moradores de rua que estão causando confusões, usando drogas e fazendo sujeira na frente de lojas que ficam na avenida Alfredo Teodoro de Oliveira, em São José do Rio Preto (SP).

Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver dois homens discutindo. Um deles segura uma faca e ameaça o outro, que segura um pedaço de pau. A briga chamou a atenção de quem passava por perto.

Segundo os comerciantes, que preferiram não ter a identidade revelada com medo de sofrerem represálias, a situação está afastando os clientes e gerando transtornos.

“Eu presenciei briga de faca, de facão e de pedaço de pau. Eles trazem transtornos para o movimento do pessoal. Até os clientes ficaram assustados, diz um dos comerciantes.

Há pelo menos 4 meses, um grupo de desabrigados se instalou no canteiro central da avenida, montaram uma tenda com pedaços de lona e cobertores. Além da violência, os comerciantes estão incomodados com a sujeira.

“Chegamos de manhã e está tudo sujo na frente da loja. Eles fazem necessidades tudo na frente da loja”, afirma outro comerciante.

Por enquanto não há relatos de depredação, mas uma torneira instalada nem um dos estabelecimentos vem sendo usada pelos moradores de rua com frequência.

“Constantemente tenho que ficar tirando a torneira, travando para eles não usarem, porque eles tomam banho na frente da minha loja”, afirma mais um comerciante.

Os donos das lojas dizem que já pediram providências para a prefeitura e para a polícia. Contudo, ninguém sabe mais a quem recorrer pra acabar com o problema.

“Já pedimos informações, mas disseram que não podem tirá-los porque não são moradores de rua. Só que eles ficam o tempo todo, fazem cabanas e tudo”, conta um comerciante.

Em nota, a Polícia Militar disse que vai intensificar as rondas e o patrulhamento. Já a Prefeitura de Rio Preto afirmou que os serviços para moradores de rua ocorrem durante o ano todo e que qualquer pessoa pode ir no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua para aproveitar dos serviços.

Comentários