Agricultura

Casal investe na produção de legumes e verduras para manter o sustento durante a pandemia

Auxiliar de produção e designer de sobrancelhas de Bady Bassitt (SP) decidiram investir no negócio para gerar renda e unir a família.

Foto: Reprodução Foto: Reprodução

Um casal de Bady Bassitt (SP) decidiu investir na produção de legumes e verduras para manter o sustento da família durante o período de isolamento causado pelo novo coronavírus.

O ex-auxiliar de produção em uma fábrica de refrigerantes, Silvestre Barbosa da Silva, decidiu investir em um negócio próprio durante a crise e explica que já tinha a vontade de montar um negócio. “Aí quando surgiu essa oportunidade aqui de alugar a horta, deu tudo certo”, explica.

A esposa era designer de sobrancelhas e ficou sem trabalhar desde que o salão fechou no início da quarentena. A ideia surgiu quando Silvestre chegou em casa com quiabos e pediu para a esposa dividir com os vizinhos.

“Resolvi colocar esse quiabo de forma fracionada dentro de alguns saquinhos, postei nas redes sociais e, incrivelmente, as pessoas começaram a procurar. Falei: 'nossa esse negócio é bom'”, conta Francisleia Pires de Alencar, agora produtora rural.

A partir desse momento, o casal decidiu investir no projeto que garantiria o sustento da família. Em pouco tempo já estão obtendo bons resultados e pensam em ampliar a área de cultivo que utilizam.

Além das divulgações em redes sociais, o casal montou uma banca no bairro em que vivem para vender tudo o que colhem.

“Foi uma surpresa, foi algo que eu encontrei dentro dessa pandemia tanto para gerar renda como também para unir a família”, afirma a produtora rural.

Segundo registros do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), de março até agora 350 pessoas se tornaram Microempreendedores Individuais (MEI) em São José do Rio Preto (SP). Um crescimento de 10% em relação ao mesmo período em 2019.

“Se você identificou uma oportunidade, uma maneira de fazer algo diferente, uma maneira que venha agregar valor ao seu produto e resolver problemas em um determinado grupo de consumidores, o que eu digo é vale a pena você começar já o planejamento para colocar esse negócio em prática o quanto antes”, orienta o consultor do Sebrae, Guilherme Tresso.

Comentários